segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Somos Todos Idiotas

Esfera dos Livros - 14€

SOMOS TODOS IDIOTAS? 

Esta é a pergunta a que o humorista Diogo Faro responde neste livro sarcástico e contundente em que disseca a sociedade portuguesa. E nenhuma tribo fica de fora. Somos Todos Idiotas é uma obra transversal que viaja pelo mundo dos betos, dos hipsters, dos taxistas, dos viciados nos ginásios e nas redes sociais, dos que vivem de chavões e de frases feitas, dos engatatões dos tempos modernos, dos que buzinam por tudo e por mais alguma coisa, dos aficionados das touradas, das criancinhas que são educadas para serem futuros déspotas, das mães defensoras da amamentação como espectáculo ao qual toda a gente não só quer assistir como devia pagar bilhete ou daqueles que espremem borbulhas em público, num cenário que provoca vergonha alheia, mas afinal isso é que é arte, provocar emoções nos outros! Mas será que não somos todos idiotas? Somos todos, acima de tudo, hipócritas. Desde o próprio autor, que criticou ao longo deste livro tantas coisas nas quais acaba por se rever, até nós, que nos rimos em clara concordância, mas que – secretamente – também fazemos tudo, ou quase, o que juntos criticámos.

NO FUNDO, SOMOS TODOS IDIOTAS. MAS UNS MAIS DO QUE OUTROS.

 Diogo Faro gosta mesmo é de viajar. E, para isso, é preciso que este livro venda bem para que ganhe dinheiro para ir embora outra vez. Formado em Publicidade & Marketing, depois de bonitas experiências a estudar e trabalhar no estrangeiro trabalhou em várias agências como criativo. Certo dia, despediu-se do seu estável emprego para se tornar comediante, naquela que se tornou na melhor piada da sua carreira até agora. Entretanto, destacou-se nos seus espectáculos "Sensivelmente Idiota Talkshow ao Vivo", em vídeos bem divertidos na internet e naquilo que o levou a esta obra, as suas crónicas satíricas. É músico, sportinguista e ligeiramente misantropo mas, acima de tudo, é amigo do seu amigo, apaixonado pela vida e apanha todas as pedras do seu caminho para um dia construir uma marquise ilegal. Neste momento, mesmo com milhões de projectos entre mãos, planeia já lançar mais 17 livros e iniciar workshops que misturam life coaching com samba na cara das inimigas.

Mulherzinhas

Bertrand - 9,90€

As irmãs Meg, Jo, Beth e Amy passam por um período difícil depois de verem o pai partir para a guerra e de se confrontarem com problemas económicos inesperados. No entanto, a união familiar e o espírito lutador que conseguem manter juntamente com a mãe ajudam-nas a ultrapassar todas as dificuldades. Quer em casa quer nas relações com os amigos e vizinhos, conseguem surpreender e continuar a ser fiéis aos seus sonhos, vivendo todos os dias com esperança e boa disposição. Um livro que nos dá o retrato de uma família de classe média americana do seu tempo, sublinhando os seus principais valores morais, e em que o amor e a coragem se revelam mais fortes do que todas as dificuldades.

O livro foi adaptado ao cinema e televisão inúmeras vezes, sendo a última em 1994 com Winona Ryder (Jo), Trini Alvarado (Meg), Samantha Mathis e Kirsten Dunst como Amy, Claire Danes (Beth) e Susan Surandon (Mrs. March) nos principais papéis. 

Louisa May Alcott (1832-1888) é uma autora americana que sonhava ser atriz mas que acabou por se tornar numa escritora incontornável no panorama da literatura juvenil. Criada com a família na Nova Inglaterra, cresceu rodeada de destacados intelectuais, tais como Nathaniel Hawthorne, Ralph Waldo Emerson e Henry David Thoreau, amigos do seu pai, que era filósofo e professor. Além da sua notoriedade como escritora, a autora tornou-se muito popular pelas posições que assumiu em defesa da abolição da escravatura e do direito de voto para as mulheres.

Os Últimos dias do Rei

Esfera dos Livros - 17,50€

Twickenham, 1932. Um jornalista vindo de Lisboa apresenta-se em Fulwell Park, a residência de D. Manuel II, que há 22 anos vive no exílio, em Inglaterra. Apresenta-se ao monarca para o entrevistar e com o projecto de uma biografia nas mãos. O rei recebe-o mas, embora visivelmente exausto, percorre memórias dia após dia, discute o presente com o visitante. Morre, contudo, inesperadamente, antes do trabalho concluído e nem a entrevista nem o livro chegam a ser publicados. Mais de oitenta anos depois, em 2016, um jovem português recebe um inesperado presente da dona da casa londrina onde está instalado: uma mala antiga cheia de papéis. A mala, explica-lhe a senhora, pertencera a um inquilino que habitara o mesmo quarto que ele agora ocupa. Era também português, fora ali para entrevistar D. Manuel II e acabara por acompanhar os últimos dias do antigo soberano. Naquela mala estão as memórias da etapa final da vida de um rei que recebeu o trono aos 18 anos, quando o pai e o irmão foram assassinados no Terreiro do Paço, em Lisboa, e que, dois anos e oito meses depois, foi derrubado pela revolução republicana. Afastado, atormentado pela saudade, encontrara nos livros e num trabalho feito entre hospitais durante a Grande Guerra o ânimo que os dias de céu cinzento e chuva não lhe davam na região onde residia. Entre as memórias guardadas na mala está também a chave para a descoberta de uma personagem fascinante da qual aquele jovem, como tantos outros portugueses, sabem o nome mas, na verdade, mal conhecem.

Nuno Galopim começou por traçar um futuro nas ciências, mas o jornalismo, a rádio e, sobretudo, a música e o cinema acabaram por falar mais alto. Com 27 anos de carreira nos media escreve hoje no Expresso, Blitz, Time Out e Metropolis e é autor dos blogues Sound + Vision e Máquina de Escrever. Tem trabalho na música (do álbum Humanos à série O Melhor do Pop-Rock Português) e no cinema (como ator, produtor, consultor e programador, estando a preparar a sua primeira obra na realização). Nos livros estreou-se, era ainda aluno de Geologia, com Vida e Morte dos Dinossáurios (1992), em co-autoria com pai, o Professor Galopim de Carvalho. É o autor dos livros Retrovisor: Uma Biografia Musical de Sérgio Godinho (2005), Os Marcianos Somos Nós (2015) e The Gift – 20 (2015) e colaborou na Enciclopédia da Música Ligeira Portuguesa. Os Últimos Dias do Rei é a sua primeira obra de ficção.

Viagem ao passado romano na lusitânia

Esfera dos Livros - 23€

Um relógio oferecido a Idanha-a-Velha por Quinto Tálio, uma Agripina sem cabeça e uma cabeça sem corpo na cidade de Beja, as histórias de Labéria que morreu com 42 anos, de Lúcio Cecílo, Caio Cantio Modestino, da pequena Quintila, de Ânio Primitivo ou de Júlia Modesta. Estes são alguns dos personagens que povoam este livro que nos transporta para a época romana. A única diferença que existe em relação a milhares de outros habitantes destas terras que nós hoje habitamos é o facto de eles, ou outros por eles, terem gravado na pedra os seus nomes. Olhando para os vestígios que nos foram deixados pelos nossos antepassados é possível reconstituir a história da Lusitânia. De norte a sul do país e percorrendo também terras espanholas, este livro permite-nos quebrar o enorme silêncio que é o passado e abrir pequenas grandes frestas que nos desvendam a nossa história e os desejos e medos, as aspirações ou os modos de ser e formas de vida daqueles que habitavam a Lusitânia. A arqueóloga Lídia Fernandes dá-nos a conhecer algumas das maravilhas arqueológicas que o nosso país encerra e revela-nos o significado oculto de ruínas, locais escondidos e pedras que num primeiro momento podem não nos dizer nada, mas que têm tanto para contar sobre o nosso passado.

Lídia Fernandes é licenciada em História, Variante de Arqueologia pela Universidade de Coimbra. Posteriormente, tirou o Curso de Especialização «Arquitectura e Urbanismos Romanos» da Universidade Lusíada. Frequentou a Pós-Graduação em Arqueologia pela Universidade Autónoma de Lisboa e fez um Mestrado em História de Arte na Universidade Nova de Lisboa (FCSH). Desde 1989 desempenha funções como arqueóloga na Câmara Municipal de Lisboa, desenvolvendo actividade científica nas áreas de Arqueologia, História e História da Arte. Desde 2009 é Coordenadora do Museu do Teatro Romano, sendo a responsável científica das intervenções arqueológicas no local desde 2001. Realizou múltiplas escavações na cidade e por todo o país, dedicando-se também ao projecto de investigação História dos Jogos em Portugal (Projecto da FCT) e, desde 1995, ao projecto de investigação sobre capitéis romanos em território nacional, área de especialização. Participou em diversas reuniões científicas, tendo publicado inúmeros artigos sobre temas de arquitectura e decoração arquitectónica de época romana, jogos de tabuleiro, arqueologia urbana e sobre várias estações arqueológicas. É arqueóloga dos Museus Municipais (C.M.L) e coordenadora do Museu do Teatro Romano.

Avistamentos de ovnis em Portugal

Esfera dos Livros - 15,90€

Naquela noite de 28 de dezembro de 1964 um forte feixe luminoso irrompeu pelo cockpit do avião do tenente-coronel Carlos Marques Pereira, cegando-o. A 2 de novembro de 1982, pela manhã, três pilotos da Força Aérea Portuguesa descolaram da base da Ota para um voo de treino e foram surpreendidos por uma estranha “bolha de mercúrio com dois hemisférios e mais de dois metros de comprimento". Portugal tem sido cenário de diversos fenómenos envolvendo Objectos Voadores Não Identificados (OVNI), e estes são apenas dois dos vários episódios presentes neste livro sobre situações fascinantes em que aeronaves e outras formas de origem desconhecida sobrevoaram o território português. Os relatos, feitos na primeira pessoa, mostram o quão inesperado, avassalador e transformador um acontecimento como este pode ser na vida de quem o observa, seja alguém sozinho ou mesmo uma comunidade inteira, tal como aconteceu em 2004. Esse foi o ano em que se registou o maior avistamento coletivo de sempre em Portugal. Foi testemunhado por milhares de pessoas de Norte a Sul e registado pelos radares da Força Aérea Portuguesa. Nestas páginas sucedem-se vários casos de OVNI que nos dão que pensar. Porque a verdade é que, apesar dos extraordinários avanços da ciência nas últimas décadas, continuamos sem resposta para uma das questões fundamentais da nossa existência: estaremos sozinhos no Universo? Para os protagonistas dos episódios aqui descritos, a resposta tornou-se evidente de um momento para o outro.

Vanessa Fidalgo nasceu em 1978 em Lisboa. Licenciou-se em Comunicação Social, com a especialização de Publicidade e Marketing no ano de 2000, pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade Técnica de Lisboa (UTL). Como colaboradora assinou artigos para as revistas Sábado, Loud Magazine, Promúsica, jornal Inside e também para o portal Diário Digital. Produziu textos publicitários e guiões para televisão. Desde 1997, é jornalista no diário Correio da Manhã, escrevendo actualmente para o seu suplemento Domingo e colaborando pontualmente com o canal CMTV. Foi na revista Domingo que, em 2010, publicou a reportagem «Ainda há histórias de casas assombradas», uma viagem pelo País real e pela internet sobre os mitos de fantasmas que de norte a sul do País continuam a dar que falar e a alimentar a imaginação popular e que viria a dar origem ao seu primeiro livro, Histórias de Um Portugal Assombrado (5ª edição). Na senda deste trabalho, seguiram-se 101 Lugares para Ter Medo em Portugal (3ª edição) e Seres Mágicos de Portugal.

sábado, 6 de agosto de 2016

Jogo da Felicidade

Esfera dos Livros - 17,50€

“Em qualquer página que abrir este livro, vai encontrar uma frase com um significado especial para si, dependendo do momento em que se encontra na sua vida. Estamos sempre em alguma das etapas do nosso caminho, sempre à procura de alguma coisa, sempre atrás de algum sonho. Somos todos heróis da nossa própria história, e esse é o caminho de todos nós. No Jogo da Felicidade, vamos percorrer juntos esses momentos do nosso percurso, vamos trocar experiências, ser parceiros dessa viagem. A experiência de cada um é individual, mas pode ser melhor quando partilhamos o que aprendemos.” Este é um livro especial que nos vai acompanhar para sempre. Um oráculo moderno que decifra e revela, em 21 capítulos, as etapas do caminho que percorremos em busca dos nossos sonhos e desejos. As páginas consultadas “ao acaso” fornecem mensagens para o momento que estamos a viver, para que possamos descobrir em que parte do percurso estamos e o que precisamos de fazer para alcançar o que mais desejamos, desde as coisas mais simples até às mais grandiosas, como um emprego, um projeto ou uma história de amor. É um livro mágico, misterioso, que ao mesmo tempo consegue ser transparente e luminoso como um cristal. Mostra-nos que qualquer caminho traçado segue um desenho claro e nítido, que obedece às leis do Universo, e revela segredos, ajuda a superar obstáculos e dificuldades, ensinando como é simples ser feliz.

Bruna Lombardi é actriz, poeta, escritora, apresentadora, argumentista, produtora de cinema e activista ambiental.  Formada em Jornalismo e Marketing, deixou tudo de lado para se dedicar à carreira artística. Filha de uma actriz e um director de cinema, Bruna cresceu num ambiente de filmes e literatura e desde cedo revelou um talento extraordinário para escrever.  Venceu, ainda estudante, vários concursos de poesia e teve os seus trabalhos publicados em diversas revistas literárias internacionais. O seu primeiro livro No Ritmo dessa Festa, com prefácio de Chico Buarque de Holanda, foi um sucesso imediato de público e crítica. Todos os seus livros seguintes, Gaia, O Perigo do Dragão, Apenas Bons Amigos, Diário do Grande Sertão, Filmes Proibidos e O Signo da Cidade permaneceram durante muito tempo na lista dos mais vendidos. 

Como actriz fez grandes papéis no cinema e na televisão. 
Produziu e apresentou durante dez anos o programa Gente de Expressão, onde viajou pelo mundo entrevistando os maiores talentos e personalidades de várias áreas. No cinema, produziu, escreveu e protagonizou os filmes: Stress, Orgasm and Salvation, O Signo da Cidade, Onde Está a Felicidade? e Amor em Sampa, tendo recebido diversos prémios nacionais e internacionais. 

Além de cinema, literatura e televisão, Bruna Lombardi está constantemente envolvida em movimentos e causas sociais e participa activamente em campanhas de promoção da sustentabilidade, meio ambiente e qualidade de vida.   

Bruna é acompanhada por milhões de fãs nas redes sociais e acaba de criar a Rede Felicidade, um portal de conteúdo, que desenvolve e compartilha experiências que inspiram e motivam as pessoas a viverem mais felizes e realizadas.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Vejo-te no Céu

Esfera dos Livros - 16,50€

Um livro inquietante que nos aproxima do Além desses animais, com os quais estabelecemos um laço tão forte que aprendemos a perceber do que necessitam e o que sentem.

E quando o nosso animal de estimação parte, quando nos separamos do companheiro de tantas brincadeiras, que percebia quando estávamos tristes ou felizes, que nos recebia com alegria quando chegávamos a casa? Sentimos uma dor imensa e profunda e não queremos acreditar que tudo acabou. Mas, ao contrário do que possamos pensar, também para os animais existe vida para além da morte e este livro surpreendente prova-nos isso mesmo. Se bem que, geralmente, não se acredite que os animais tenham alma, numerosas investigações revelam que sentem amor e ódio, são solidários e inteligentes, distinguem o bem e o mal e, inclusivamente, chegam a manifestar alguma transcendência. A partir desta nova perspectiva, se existe um Além para os humanos, porque não para os animais? Os autores — jornalistas que colaboram em diversos meios de comunicação — recolhem aqui testemunhos emotivos, em primeira mão, acerca da ligação a partir do outro lado e comunicações entre o mundo dos espíritos e o nosso, facilitadas pelo carinho e a proximidade emocional com os nossos animais de estimação. Pretendem assim partilhar informação sobre um assunto que quase ninguém chega a debater e sobre o qual investigaram profundamente: as suas aparições depois de falecerem, o seu sexto sentido, o luto que os donos farão depois da sua morte…